domingo, 14 de julho de 2013

Sid Meier - Biografia

Essa é a biografia de Sid Meier.


Sid Meier é designer de diversos dos mais famosos e tradicionais jogos do gênero Strategy e Simulation. Entre os vários jogos de sua carreira (a maioria leva seu nome e assinatura), a sua franquia de maior sucesso é Civilization. Ele é considerado um pai de um gênero e um dos designers mais influentes da história dos games. Ele também co-fundou a desenvolvedora MicroProse. Vamos conhecer um pouco mais sobre suas obras?

PARTE 1 - MICROPROSE E A PAIXÃO POR AVIÕES

Sid Meier nasceu em Sarnia, no estado de Ontaro, no Canadá, em 24 de fevereiro de 1957.


Meier se formou em programação na Universidade de Michigan, e sempre sonhou em trabalhar nessa área. Era um mercado em expansão, mas ele precisava de experiência. A oportunidade de ouro surgiu quando ele decidiu fundar uma companhia, juntamente com seu grande amigo Bill Stealey. Stealey era tenente-coronel das forças armadas americanas, especialista em engenharia aeronáutica, mas um profundo apaixonado por games também. Ambos fizeram uma parceria e co-fundaram a MicroProse Software em 1982.

Com base em Alameda, Califórnia, a empresa MicroProse serviria como desenvolvedora e publicadora de games. Stealey iria gerir administrativamente a empresa e dar conselhos, enquanto Meier poderia colocar em prática seu talento e vocação para programação e design.

Já em 1982, Meier começaria a produzir seu primeiro game. Meier adorava aviação, e, sobre inspiração de Stealey, que era tenente-coronel das forças armadas, ele decidiu produzir um simulador aéreo. E assim, eles publicaram, ainda em 1982, Spitfire Ace, para Atari 400.


Spitfire Ace é um jogo de combate aéreo. É claro que, com toda a limitação de tecnologia da época, a simulação de uma aeronave era algo muito complexo. O game se baseava na Segunda Guerra Mundial, e o jogador controlava uma aeronave que deve sobrevoar e defender o Reino Unido durante o bombardeiro Blitz, na Segunda Guerra Mundial. Também era possível jogar na França e durante o Dia D. O game depois foi portado para Commodore 64 e DOS.

Durante algum tempo, Sid Meier e a MicroProse se especializariam apenas em jogos de simuladores aéreos, já que era uma paixão que ambos tinham, além de todo o conhecimento técnico que puderam adquirir nas forças armadas e na engenharia aeronáutica. Diversos títulos foram lançados desse gênero, como Hellcate Ace e Floyd of the Jungle, em 1982. O mais notável, no entanto, foi Solo Flight, em 1983.


Solo Flight, lançado para Atari e Commodore 64, colocava o jogador na pele de um piloto de avião que tinha de entregar maletas postais ao redor do país. O game trazia comandos de simulação bem realistas para a época, com direito a mapas atualizados e diversos comandos específicos à disposição.

No entanto, logo eles resolveriam começar a apostar em outros gêneros. Sid Meier desenvolveria um game de um gênero também bem popular na época, o Strategy. A primeira tentativa de Meier nesse gênero veio no inteligente game NATO Commander.

File:NATO Commander Coverart.png

NATO Commander coloca o jogador na pele de um comandante da Organização do Tratado do Atlântico Norte em plena Guerra Fria. A União Soviética está invadindo a Alemanha Oriental, e devemos impedir que eles consigam. Nossa missão é usar de todo o conhecimento bélico e estratégico para tomar medidas ofensivas e defensivas, dispondo de pessoal nos locais certos e mantendo seguro rotas de suprimentos. Não há confrontos especificamente falando (é uma guerra fria, afinal), de modo que o jogador deve vencer o lado oposto apenas pelas medidas estratégicas tomadas, sobrepujando o oponente através de força política.

Em 1985, foi lançado Kennedy Approach, para Amiga, Commodore 64 e Atari:

File:Kennedy Approach Coverart.png

Esse game é um interessante simulador de tráfego aéreo. Como um controlador aéreo, o jogador deve guiar os pilotos, indicando a pista em que devem pousar ou decolar. Evitar conflito de aeronaves é algo mais complicado do que parece, e o jogador possui diversos níveis de dificuldade para tomar suas decisões.

PARTE 2 - O COMEÇO DO SUCESSO

A MicroProse estava aos poucos crescendo, conseguindo mais funcionários e ganhando uma notoriedade maior entre os gamers. Mas faltava emplacar um sucesso para que a empresa e o Sid Meier ficassem famosos. Assim, eles se dedicaram bastante, e em 1985 lançaram F-15 Strike Eagle.

File:F-15 Strike Eagle Coverart.jpg

Esse game foi o primeiro game de Meier a realmente fazer sucesso. Caso não saiba, esse jogo foi o primeiro simulador de combate aéreo do mundo. De forma realista, claro. O jogo dispunha de um senso de realismo incrível, e também continha uma boa variedade de controles e armas, podendo ser usado metralhadoras, bombas, mísseis, sinalizadores, chaffs, entre outros. Lançado primeiramente para Amiga e Commodore 64, depois o game recebeu versões para quase todos os consoles e computadores da época. Foi um grande sucesso, foi eleito pela mídia especializada como um dos melhores jogos de 1985 e vendeu mais de 1 milhão e meio de cópias.

O sucesso de F'15 Strike Eagle levou Meier a ousar produzir games que não fossem relacionados a aviões. Disposto a simular outras coisas que não fossem aviões, ele começou a produzir um simulador de submarinos chamado Silent Service.

File:Silent service.jpg

Silent Service é um simulador de submarinos lançado em 1985 para computadores. O jogador, no controle de um submarino americano na Segunda Guerra Mundial, deve proteger o Pacífico de ataques dos japoneses. O jogador tinha de tomar diversas decisões militares para conseguir manobrar o submarino e se manter vivo (e indetectado) diante de diversos inimigos. O sistema complexo de controle do submarino a partir de uma simulação de uma sala de controle rendeu ao game diversos prêmios por originalidade e inteligência.

Mas é claro que Meier não deixaria os aviões de lado. Ele continuaria produzindo, como por exemplo em 1986, quando desenvolveu Gunship:

File:Gunship.jpg

Gunship é um simulador de helicópteros. O game oferecia diversas opções realistas de controle para que o jogador se sentisse realmente pilotando um helicóptero de guerra, com direito a muitas armas, movimentos e noções táticas em campo. O game recebeu diversas indicações a melhor simulador de 1986, e chegou a ser eleito um dos melhores jogos do ano.

PARTE 3 - ANTES E DEPOIS DE PIRATES

Mas o verdadeiro sucesso ainda estava por vir. Meier tinha muitos planos em sua mente, e sua ambição não lhe permitia se contentar apenas com simuladores aéreos. Ele queria um jogo que pudesse cativas gerações. Um grande sucesso. Após anos de preparação, ele desenvolveu, em 1987, o game Sid Meier's Pirates, para PC:

File:Sid Meier's Pirates! (1987) Coverart.png

Seria o primeiro jogo a levar seu nome no título, uma demonstração de seu sucesso e do reconhecimento de seu trabalho. A fama de Sid Meier como produtor de games já era tão grande em 1987 que a MicroProse passaria a usar, de Pirates em diante, o nome dele como parte da marca, com a intenção de atrair os fãs de Meier para a nova investida. Pirates foi um jogo que quebrou diversos paradigmas na época. Era um game completamente mundo aberto (algo novo na época) e que possuía diversas terras exploráveis. O jogador controlava um pirata espanhol que não tinha um objetivo específico: ele tem de acumular dinheiro. Para isso, pilhava cidades e vendia os itens roubados em busca de tesouro, que usava para conseguir armas, navios e suprimentos para fazer mais pilhagens. O jogador podia pilhar cidades, roubar navios inimigos e procurar tesouros escondidos, enfim, todas essas coisas de piratas. O jogo era livre, e o jogador podia escolher onde ir e o que fazer, quando quisesse. A história se passava em Caribe, América Central, Flórida, Golfo do México, e Bermuda, e o jogo acabava quando o pirata se aposentava por velhice. O game foi muito elogiado pela crítica, vendeu muito bem e ganhou diversos prêmios, não só pela sua originalidade quanto pela genialidade na concepção. Está presente na lista dos melhores jogos de todos os tempos de diversas publicações especializadas.

Foi aí que Sid Meier definiu seu futuro. Ele encontrou sua paixão, sua vocação. Ele passaria a gastar mais e mais tempo com jogos pensantes e de estratégia, pois percebeu que era bom nisso. Não que ele fosse deixar de trabalhar em simuladores. Mas não seria mais seu foco. Ele passaria a colaborar com conselhos e na parte técnica em diversos simuladores, mas sem se envolver diretamente em alguns deles. Foi o caso, por exemplo, de Red Storm Rising, lançado em 1988 para Amiga:

File:Red Storm Rising Cover.jpg

Red Storm Rising é um simulador de submarinos baseado no romance militar clássico de Tom Clancy, Caçada ao Outubro Vermelho. O jogo ficou muito conhecido pelo seu realismo e pelo modo como algumas táticas podiam facilmente vencer o jogo. Apesar de algumas falhas, o jogo era variado, e é reconhecido até hoje como um dos melhores simuladores de submarinos já feitos na história.

Sid Meier também continuaria lançando simuladores aéreos, apesar de participar bem menos em sua produção, apenas dando dicas e conselhos. Em 1988, ele lançou F-19 Stealth Fighter.

F19stealthfighter box front.jpg

E, em 1989, ele lançou F-15 Strike Eagle 2.

Box F15SE 500.jpg

Ambos os games fizeram sucesso razoável e também foram recomendados como os melhores simuladores de avião de suas épocas. Mas Sid Meier estava mesmo era se focando no seu gênero predileto: estratégia. Até que, em um ápice criativo, ele desenvolveu um game pouco convencional, um Strategy-RPG para DOS chamado Sword of the Samurai:

File:Swordsamuraicover.jpg

Sword of the Samurai contava a história de um guerreiro samurai que o jogador mesmo criava e dava um nome. Sua missão era ir realizando trabalhos para os mestres feudais japoneses, enquanto ia crescendo e adquirindo honra, fama e dinheiro, até se tornar o mestre shogun do Japão. O game misturava momentos de luta e stealth no começo, mas logo evoluía para um tenso e complexo Strategy Role-Playing Game com elementos de Warfare Game.

O próximo game que Sid Meier assinaria embaixo seria Sid Meier's Covert Action:

File:Sid Meier's Covert Action Coverart.png

Esse era um game de Stealth Action no qual o jogador, na pele de um agente secreto da CIA, devia invadir bases inimigas e descobrir informações que pudessem impedir uma guerra nuclear. O game era repleto de opções de ação e de infiltração, e ficou conhecido também por sua trama sólida e evolutiva.

PARTE 4 - MESTRE DA ESTRATÉGIA

Sid Meier já conseguiu provar ao mundo que tinha o dom de fazer games de estratégia. Inspirado nos mais diferentes elementos e personagens (samurais, piratas, Guerra Fria, terrorismo internacional, e por aí vai), ele conseguiu criar games épicos e incríveis de estratégia, com cada vez mais atenção a detalhes, realismo e história. Seu nome começava a virar uma referência para os apaixonados pelo gênero, e a MicroProse cada vez mais se focava nesse tipo de jogo. Quando todos aguardavam ansiosamente pelo que estava por vir, Meier lança, em 1990, o clássico Sid Meier's Railroad Tycoon, para PC:

Sid Meier's Railroad Tycoon.jpg

Railroad Tycoon é um jogo de estratégia que consiste na criação e administração de trilhos de trem. O jogador tinha metas a cumprir, e ele tinha de construir linhas férreas e estações, além de contratar trens para percorrê-las, de modo a reunir fundos para crescer e avançar. O jogador poderia trabalhar nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha ou na Europa. O jogo fez um grande sucesso, e foi considerado um dos melhores jogos do ano de 1990, e até hoje é lembrado como um dos grandes clássicos de Sid Meier (caso queira conhecer melhor o game, saiba que ele está disponível gratuitamente para download).

Railroad Tycoon viria para concretizar a carreira de Sid Meier e da MicroProse na sua especialidade (o que já havia sido notado e demarcado há muito tempo até), a criação de games de estratégia. Meier começou a seguir ainda mais forte nessa sua empreitada, e se tornou um dos nomes mais cotados e mais respeitados dentro da indústria dos games. Um verdadeiro ícone e um exemplo a ser seguido, Sid Meier passou a ser realmente reverenciado pelos fãs do gênero.

Para marcar de vez o nome dele na história, Sid Meier lançaria, logo no ano seguinte, mais um grande sucesso, e, dessa vez, um jogo para marcar sua carreira como um divisor de águas. Em 1991, foi lançado para PC o hiper sucesso Sid Meier's Civilization.

File:Civilizationboxart.jpg

Civilization é um jogo do gênero Turn-Based Strategy Game baseado no jogo de tabuleiro chamado Civilization, lançado em 1980 pela Hartland Trefoil. O game desafia o jogador a criar um império que perdure com o passar dos tempos. Tudo começa em 4000 A.C., no qual o jogador monta uma civilização e tem de tomar decisões administrativas. Tem de crescer, explorar recursos, exercer diplomacia, criar alianças com outras civilizações ao redor, travar guerras, produzir a terra e buscar enriquecer, tornando sua civilização competitiva em relação às outras. As tecnologias e recursos variam de acordo com a civilização que o jogador escolher gerir. Ele pode escolher os astecas, os romanos, americanos, indianos ou mongóis.

Pois bem, e o retrospecto? Sid Meier's Civilization se tornou simplesmente um ícone na história de Sid Meier e uma referência para o gênero (quase como GoldenEye 007 para o gênero First-Person Shooter). Foi o jogo mais conhecido e mais premiado da história do gênero. Foi considerado o melhor jogo do ano de 1991 e um dos melhores jogos já feitos até hoje. Com certeza, um dos jogos mais influentes e importantes da história dos games. Após mais de 20 anos, ele ainda é lembrado, jogado, e ainda serve como parâmetro e referência de qualidade. É pouca coisa?

A partir de então, Sid Meier começaria um novo projeto ao lado de seu grande amigo, Brian Reynolds. Reynolds começou sua carreira de designer de games na MicroProse, onde desenvolvia Graphic Adventures para Mac, como Rex Nebular e Return of the Phantom. Vendo seu talento, Meier decidiu chamá-lo para formar uma dupla em um novo projeto. Eles colaboraram para o que seria a primeira grande produção de Reynolds. Juntos, eles lançaram, em 1994, para PC, Sid Meier's Colonization.

File:Colonization cover.jpg

Esse é mais um game de Turn-Based Strategy, que segue uma filosofia semelhante ao Civilization, porém com algumas diferenças sutis. Ao invés de começar uma civilização do nada, o jogador é instruído a colonizar uma nova terra, sob mando de um país já existente. Então, conforme o local cresce e começa a se tornar independente, através de suas riquezas naturais, começa a se travar uma luta pela sobrevivência, e o jogador é instruído a declarar a independência do local colonizado. A mecânica de jogo em si é bem semelhante às versões anteriores, contendo apenas algumas melhorias.

Sid Meier aprovou o trabalho de Brian Reynolds. Aprovou tanto, que até mesmo decidiu deixar alguns cargos que eram de sua autoria nas mãos dele. Reynolds era tão promissor que deixou a cargo dele a produção da sequência de sua franquia mais famosa até então: Civilization. Reynolds chefiou a produção de Sid Meier's Civilization II, que, apesar do nome de Meier, não teve nenhuma participação dele. O game foi lançado em 1996 para PC.

File:Civ2boxart.jpg

Apesar de não ter tido participação de Meier, o game se manteve totalmente fiel ao anterior. Reynolds soube passar a essência, e usar as novas tecnologias para deixar o game ainda melhor. Como já era de se esperar, o game vendeu bem e recebeu excelentes notas da crítica, se tornando um dos melhores jogos do ano e também na lista dos melhores de todos os tempos.

Enquanto isso, Sid Meier continuaria tendo seu prestígio difundido. O mestre da estratégia foi citado no ranking dos homens mais influentes da indústria dos games, tanto pela Gamespot, quanto pela Computer Gaming World, e recebeu diversos prêmios e homenagens.

Meier também passaria seu tempo preparando um game baseado na famosa franquia de cartas colecionáveis, Magic. Ele lançou, em 1997, o game Magic the Gathering, para PC, que permitia recriar virtualmente as cartas e fazer combates online entre diversos jogadores do mundo inteiro.

PARTE 5 - A FUNDAÇÃO DA FIRAXIS GAMES

No entanto, as coisas já não estavam indo tão bem assim para a MicroProse. Como a empresa começava a fazer sucesso, várias empresas tentaram comprá-la. Tudo começou mesmo em 1993, quando as conversações com a Spectrum HoloByte, uma publicadora americana, estavam bem adiantadas. Parte das ações foram compradas, e a empresa deixou de ser independente. Cada empresa ainda publicava seus games de forma independente, mas os direitos eram repartidos, e isso não agradava Sid Meier. Com a venda da empresa para a HoloByte, Bill Steanley também  abandonaria a empresa, para fundar a empresa Interactive Magic, que mais tarde se tornaria iEntertainment Network.

Sid Meier também pensava em pular fora do barco. Vendo o rumo que a MicroProse estava tomando com a saída de Steanley e a venda para a Spectrum HoloByte, ele foi juntando um dinheiro acumulado. Apenas esperou chegar o fim. Em 1996, a HoloByte mudou seu nome para Hasbro Interactive, e decidiu fundir de vez com a MicroProse, realocando seus estúdios e pessoal. Meier aproveitou a deixa e, assim que lançou Magic the Gathering (o seu último jogo pela MicroProse), largou a empresa para fundar uma nova empresa: Firaxis Games, em Maryland, ao lado de seu amigo Jeff Briggs (o qual foi o compositor-chefe de vários de seus games).

Também em 1996, Sid Meier e Jeff Briggs lançariam um novo produto, um programa gerador de música chamado C.P.U. Bach (uma brincadeira com as iniciais do nome dos filhos do célebre compositor Johann Sebastian Bach). O programa permitia criar música barroca ao estilo de Bach com vários instrumentos e formas diferentes, e então aparecia as composições sendo tocadas em tempo real com gráficos 3D. O programa ajudava aos próprios compositores de games a criarem suas músicas mais facilmente.

O primeiro game que Sid Meier desenvolveria pela Firaxis Games seria Sid Meier's Gettysburg!, lançado em 1997 para PC:

File:Sid Meier's Gettysburg! Coverart.png

Meier estava a fim de um desafio na sua nova empreitada, e decidiu fazer um game de um gênero que ele nunca havia explorado até então: o Real-Time Tactical Game. Esse jogo retrata a Batalha de Gettysburg, que ocorreu na Guerra Civil Americana. Foi o maior conflito entre a União e a Confederação, e onde teve o maior número de mortos. O jogador podia escolher entre ser do lado da União ou da Confederação, e, liderando tropas, tinha de usar de estratégia militar para vencer os oponentes.

A sequência do game foi lançado em 1999: Sid Meier's Antietam!:


Sid Meier's Antietam! é um Real-Time Tactics que retrata a Batalha de Antietam, outra batalha importante da Guerra Civil Americana. O game segue a mesma premissa do anterior, com a diferença de ser um pouco melhorado em alguns aspectos, mas muito semelhante.

No ano de 1999, Sid Meier foi homenageado com a segunda indicação ao Hall of Fame, da Academy of Interactive Arts and Sciences, uma premiação que, anualmente, homenageia os melhores desenvolvedores de games do mundo, pelas suas conquistas revolucionárias e inovadoras para a indústria dos games. O primeiro a ser homenageado foi o Shigeru Miyamoto, da Nintendo.

Fora isso, Meier também iria voltar a trabalhar com Reynolds, seu pupilo. Ambos desenvolveriam juntos mais um game de sucesso, Sid Meier's Alpha Centauri, lançado em 1999 para PC:

File:Alpha Centauri cover.jpg

Alpha Centauri nada mais é do que uma espécie de versão de Civilization no espaço. Em pleno século 22, sete facções disputam o sistema estelar Alha Centauri. Então, é preciso colonizar os planetas, fazê-los crescer, criar alianças e tudo o mais, fora que é preciso dialogar com os extraterrestres e fazê-los cooperar com a colonização. O game recebeu muitos e muitos elogios, principalmente no que se refere à história e à dublagem. Recebeu muita aclamação pela crítica especializada e prêmios pela sua brilhante originalidade. No entanto, vendeu muito pouco. Apenas pouco mais de 150.000 cópias, um número muito baixo, o menos vendido da série Civilization.

Depois de Alpha CentauriSid Meier jamais voltaria a dirigir jogos. Ele passaria a se dedicar mais à função de diretor de criação. Como sua vocação era realizar o design dos jogos, ele teria maior participação na sua área preferida, e assim não precisaria perder tempo com outros afazeres. Poderia criar à vontade, atuando como diretor do setor de criatividade, usando seu gênio para encontrar terrenos férteis dentro dos games onde poderia explorar e criar mundos fantásticos. Isso também lhe permitia trabalhar na produção de diversos jogos ao mesmo tempo. Isso era importante, já que os jogos ficavam cada vez maiores e mais complexos, demandando mais tempo de produção, e ele precisaria produzir diversos jogos para cumprir com a demanda financeira da empresa.

Em 2001, foi lançado Sid Meier's Civilization III, para PC:

File:Civilization III Coverart.png

Diferentemente de Civilization II, o III teve participação de Sid Meier, apesar de bem pouca. Como diretor de criação, Meier contribuiu muito para o desenvolvimento das ideias do jogo, mas o designer principal foi Jeff Briggs, e Soren Johnson foi o programador. O game segue o mesmo estilo e premissa dos jogos anteriores da série, apenas se tornou mais amplo, complexo e com muito mais recursos e opções.

Sid Meier desenvolveu um jogo inteiramente novo, e, como já era típico, de um gênero que ele nunca havia trabalhado até então. Em 2002, foi lançado para PC Sid Meier's SimGolf:

File:Sid Meier's SimGolf Coverart.png

Trata-se de um simulador de golfe profissional, mas cuja principal intenção no game não é realmente jogar, e sim criar seus próprios campos de golfe. Com diversas opções criativas para decorar e criar seu campo, a ideia é criar campos divertidos para que golfistas fictícios possam se divertir, e, assim, continuar treinando no seu campo e lhe dando dinheiro, que pode ser usado na compra de novos recursos.

Em 2004, foi lançado um remake de Pirates, chamado também de Sid Meier's Pirates, para PC:

File:Sid Meier's Pirates! (2004) Coverart.png

É um remake do original de 1987, só que em 3D e com um novo sistema de combate e muito mais recursos. A mecânica permanece inalterada, no entanto. O game teve uma contribuição discreta por parte do próprio Sid Meier, mas nada muito relevante. O game fez um sucesso considerável de crítica.

Em 2005, chegaria às lojas o jogo Civilization IV:

Sid Meier's Civilization IV

Civilization IV trouxe boas mudanças para a franquia, além de ser totalmente 3D. Além do visual, a inteligência artificial e os retoques no sistema de estratégias e de gerenciamento da civilização ajudaram muito para popularizar o game e fazê-lo voltar ao sucesso de sempre. Sid Meier contribuiu mais nessa versão, como diretor de criação. O game tornou-se um sucesso tremendo. Recebeu o clamor da mídia, e é referenciado carinhosamente como um jogo de "longevidade infinita", já que as múltiplas possibilidades tornam cada jogatina uma experiência única. Além de vender bem, recebeu múltiplos prêmios, incluindo os prêmios de melhor jogo do ano, melhor jogo para PC do ano e melhor jogo de estratégia do ano. Fora as menções honrosas e a presença na lista dos melhores games de estratégia da história. É pouco?

PARTE 6 - A VOLTA COMO DESIGNER

Sid Meier queria voltar a ser designer principal dos games, mas ele não conseguia se animar muito em um projeto. Ele começou a escrever um projeto de um game baseado em dinossauros, mas nunca conseguiu levar o projeto adiante pois não conseguia fazer o projeto ser divertido o bastante. Ele deixou de lado o tema de dinossauros, e pensou em voltar a ser designer principal dos jogos das suas franquias.

Caso você esteja se perguntando sobre a franquia Railroad Tycoon, criação de Sid Meier em 1990, a franquia continuou, mas longe dele. A Take-Two Interactive comprou os direitos da franquia e deixou a cargo da desenvolvedora PopTop Software. Eles produziram Railroad Tycoon 2 em 1998, e Railroad Tycoon 3 em 2003. Porém, em 2006, a PopTop Software e a Firaxis Games se uniriam em uma só empresa. Dessa forma, Meier poderia ter de volta uma de suas franquias prediletas. Ele então se dedicou a produzir novamente um game da franquia, desta vez como designer principal.

E assim, Sid Meier's Railroads! foi lançado em 2006 para PC:

File:Railroadsboxshot.jpg

Assim como aconteceu com Civilization IV, o game ficou completamente em 3D. O game segue a filosofia da série, sendo um Business Simulator, mas agora a parte administrativa está ainda mais exigente. Como o game também está mais realista, o terreno e a escolha do local onde passarão os trilhos e ficarão as ferrovias será importante para definir o lucro ou o prejuízo. Ter uma boa noção administrativa fará a diferença a longo prazo, principalmente na busca por novas tecnologias e na tentativa de penetrar na área de ferrovias concorrentes.

Esse game marcaria a volta triunfal de Sid Meier ao cargo de designer principal de grandes produções. Após um tempo atuando como diretor de criação e tendo uma participação de menor destaque nos games, Meier decidiu voltar com tudo. Ele passou longos anos de produção de uma sequência para a franquia Civilization. E não seria um jogo qualquer, e sim, um game que, de acordo com ele, era o jogo que ele sempre sonhou fazer.

Em 2008, foi lançado Civilization Revolution para Playstation 3 e Xbox 360:

File:Civilization Revolution Game Cover.png

A ideia é a mesma dos demais jogos da franquia Civilization, tendo apenas sido adaptado para ser melhor jogado em um console. O Turn-Based Strategy foi remanejado para ficar mais fácil, mais simples e rápido. O game se tornou "finito", ou seja, com um fim planejado, uma história a ser seguida e um objetivo a ser alcançado. O objetivo é variado, e pode ser desde acumular uma fortuna quanto dominar todas as civilizações próximas, ou ser o provedor de cultura dominante da região. Ainda havia opções de confronto multiplayer online entre os jogadores. O game vendeu razoavelmente bem e foi considerado uma grande evolução para a franquia, e uma revelação para o gênero nos consoles caseiros.

Ainda em 2008, Sid Meier receberia o Lifetime Achievement Award, da Game Developer's Conference, um prêmio que condecora aqueles que muito contribuíram para a indústria de games de forma geral. E, em 2009, Meier ainda seria homenageado pela IGN sendo incluído em segundo na lista dos maiores criadores de jogos de todos os tempos. Realmente, seu legado e sua importância são indiscutíveis.

Sid Meier se dedicou a mais dois anos de produção, e, em 2010, lançou Civilization V, para PC:

File:CIVILIZATION-V-FRONT-OF-BOX.jpg

Baseado no sucesso de Civilization Revolutions, diversos aspectos da versão de consoles estão presentes nesse game exclusivo de PC. Mais opções de customização e táticas, melhores estratégias, dificuldade maior e inteligência aprimorada são os pontos principais. Também trouxe novidades na política social das civilizações, animações melhores para os atos de liderança, entre outros pontos. Jon Schafer foi o principal designer, mas Sid Meier contribuiu bastante como diretor de criação.

Aproveitando o sucesso que a franquia Civilization estava fazendo nos últimos anos, Sid Meier ainda contribuiu para o lançamento de mais um jogo na franquia: Civilization World:

File:Civnetlogo.jpg

Civilization World é um Massively-Multiplayer Online Game baseado na mais famosa franquia criada por Sid Meier. Meier foi o designer principal desse game, que é todo Real-Time Strategy, ao invés do Turn-Based Strategy que era usado até então. Assim, fica mais fácil haver a interação online entre os jogadores. Um jogo grátis, simples e disponível para jogar em qualquer lugar, e com total ênfase no multiplayer interativo. Fez um sucesso considerável na rede.

E esse foi o último game desenvolvido pelo Sid Meier. Atualmente, ele está casado, e vive em Hunt Valley, Maryland, com sua esposa, Susan, e seu filho, Ryan. Ele ainda continua como o diretor de criatividade da Firaxis, e está trabalhando em um simulador de voo para iOS chamado Ace Patrol, que será lançado ainda esse ano, mas do qual ainda não se tem muitas informações.

Está aqui a nossa homenagem a um dos maiores deuses dos games que o mundo já viu: Sid Meier. Gostou da nossa homenagem? Tem algo a dizer? Comente.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário